SOBRE INTEGRIDADE MORAL E RESPEITO

Por Walter Serer

“A virtude moral é uma consequência do habito.Nós nos tornamos o que fazemos repetidamente. Ou seja: nós nos tornamos justos ao praticarmos atos justos,controlados ao praticarmos atos de autocontrole, corajosos ao praticarmos atos de bravura. Aristóteles

Integridade e respeito são valores fundamentais na vida das pessoas, no progresso das organizações e essenciais para o convívio social.

No mundo corporativo, estes valores e, somente eles, viabilizam o trabalho em equipe, a produtividade e a inovação.

Nos escandalizamos e ficamos estarrecidos com a quantidade e a magnitude de corrupção generalizada envolvendo políticos e funcionários públicos em todos os níveis e em todas as regiões do país. O montante de dinheiro desviado é incalculável e tivesse tido a destinação correta não nos depararíamos diariamente com o caos generalizado na educação, na saúde, na infraestrutura e na segurança.

Mas, devemos questionar se estes são  casos isolados e restritos ao setor publico ou, ao contrário, se desvios éticos fazem parte de nossa cultura? Infelizmente, devemos reconhecer que muitos dos que clamam pela ética no setor publico e na classe política acham normal subornar um agente de transito, pagar “taxa de urgência” para acelerar a aprovação ou facilitar processos junto a órgãos públicos e, muitas vezes, obter vantagens pessoais em função de um cargo exercido (mesmo que no setor privado).

Como a cultura ética impregnada no tecido social de um povo faz toda a diferença pode ser exemplificado pelo caso do parlamentar e ministro britânico Chris Huhne que, em 2003, renunciou ao cargo e foi condenado à prisão por um crime cometido há dez anos atrás. E qual foi este crime?  Em 2003, o carro do parlamentar foi pego em excesso de velocidade, e ele convenceu sua mulher a assumir a culpa e os pontos na carteira de habilitação para não ser processado e perder o direito de dirigir. A condenação pública é um exemplo perfeito de uma sociedade que respeita e exige que seus valores sejam respeitados e cabe aqui perguntar: o que aconteceria com um ministro de Estado flagrado em delito semelhante no Brasil? Por aqui, quem nunca recorreu a este expediente para não ser penalizado com a perda da habilitação? Não é preciso responder; entre nós tais desvios de conduta são socialmente aceitos e considerados como sinais de astúcia e esperteza. Certamente, há muito por fazer…

Se quisermos mudar este quadro sinistro que nos coloca em 79° (o número 1 é o menos corrupto) no ranking da corrupção mundial temos que olhar para nós, para nossas famílias, para nossos amigos e para nossas empresas e efetivamente adotar, compartilhar e oferecer no dia-a-dia exemplos de comportamentos éticos irrepreensíveis. Este, ao lado de investimentos em educação, é o caminho para construirmos um país melhor para as próximas gerações.

Se quisermos viver num país melhor e operar em um ambiente favorável aos negócios devemos TODOS em nossa vida pessoal e profissional ter uma atitude não complacente com qualquer tipo de violação dos princípios éticos fundamentais.

E, ainda,  para que possamos construir um pais melhor devemos exercer o papel de  efeito multiplicador na mudança de comportamento alinhando o discurso às ações concretas e jamais  fazer negócios “a qualquer preço” e sim através da forma correta.

 

 

6 thoughts on “SOBRE INTEGRIDADE MORAL E RESPEITO”

  1. Walter, Excelente artigo. Muito atual.
    Precisamos sair do estágio do “falar/ reclamar” o que o Estado precisa fazer melhor (e, sem duvida, precisa fazer muita coisa melhor) e partir também para o “fazer” – agir diferente, alinhados a princípios rígidos de integridade, ética e respeito, como sociedade, cidadãos e indivíduos.

  2. Excelente, Walter. Infelizmente, não são casos isolados, e nas corporações toda a vigilância é pouca.
    Atenção deve ser constante, ininterrupta. Muitas vezes, por absoluto desconhecimento, pessoas podem cometer deslizes que são considerados graves. Por isso a importância de treinamento e conscientização constantes.

  3. Cirúrgico no seu artigo Walter, está perfeito e muito alinhado com o que estamos acompanhando pelo Brasil e Mundo afora, algumas culturas ainda mais inescrupulosas do que outras, alguns países ainda muito aquém do que seria um equilíbrio ético digno do homem médio e outros tantos num padrão de desenvolvimento elevado. Mas, como costumo dizer, antes de políticos, antes de policiais, antes de funcionários públicos, médicos, engenheiros, taxistas, etc, etc e tal, são seres humanos e brasileiros, já que estamos no Brasil.

  4. Brilhante texto, Walter. Ética é uma questão que deve ser inegociável em nossas vidas, tanto no lado profissional, como no lado pessoal. Este é um tema que cada um tem que assumir como compromisso consigo mesmo e não admitir transgressões. Não existe meio termo, ou você é ético ou não é. Com certeza não deve existir paz de espírito para quem não é pautado pela ética em sua vida.

  5. Excelente texto Walter. Tocando um ponto nevrálgico, talvez não somente em nosso país, mas sim em nossa região latino-americana. Aquele que corrompe é igualmente incorreto quanto aquele que se deixa ser corrompido. Assim, esta “enfermidade” deveria ser erradicada atacando o tema pelos 2 lados – ativo e passivo. Infelizmente essa correção levará anos, mas tem que começar, seja pelos bons exemplos em escolas, transito, repartições publicas, como também no ambiente corporativo.

  6. Parabéns Walter pelo artigo ! Verdadeira e elegante a forma como lembra a todos que antes de julgar e criticar devemos refletir sobre nossos atos . Ser íntegro, ético e ter respeito pelo próximo é um exercício diário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *